Com ajuda dos “hermanos”, Brasil tem tudo para confirmar seu favoritismo na Copa América