Banner juvino publicidade

Jurídico

Juridico 12/07/2018 15:42 Fonte: Planeta Folha - Dr. Ronan Almeida de Araújo

População de Rondônia vai pagar energia elétrica consumida pelos “gatos”

Eletrobras Rondônia divulgou, neste mês de novembro, que teve um prejuízo de R$ 33 milhões com ligações clandestinas de energia em todo estado, o chamado "gato". O valor do furto de energia ocorreu entre setembro de 2016 e setembro de 2017, quando foram desviados 749.054 Megawatt-hora (MWh) da rede elétrica.

Segundo o gerente de medição e fiscalização da Eletrobras, Cleyton Silva, metade desse valor furtado será cobrado na conta de luz dos mais de 600 mil consumidores de Rondônia em 2018. Ou seja, dos R$ 33 milhões de prejuízo, R$ 16,5 milhões serão pagos pelo contribuinte. “Anualmente temos um calendário, que ocorre o que chamamos de reajuste e o de Rondônia acontecerá em novembro.

Só lembrando que o reajuste pode ser tanto para mais como para menos. Como em diversas vezes foi para menos, hoje estamos com o quilowatt-hora entre R$ 0,54 e R$ 0,55. Dos 749.054 Mwh de perda não técnica, aproximadamente 177.880 Mwh, ou R$ 33.131.928,80, são repassados na tarifa do consumidor durante o ano", explica Cleyton.

O valor que é repassado para os consumidores, segundo Cleyton, é aceito e autorizado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Nesses casos a Aneel autoriza com que a gente passe para a tarifa do consumidor, aproximadamente, 50% do valor perdido. Os outros 50% quem paga é a própria empresa”, esclarece. O gerente explica que, por questão de organização, Rondônia é dividido em três partes: Norte, Centro e Sul.

Isso é feito para que se possa, por média porcentual, ter os resultados de cada região também em questão de perdas. “Na avaliação mensal, a qual fechou setembro deste ano, a região Norte, com predominância em Porto Velho, mas que inicia em Itapuã do Oeste e vai até Nova Califórnia, temos o percentual de perda de energia de 38,89%", afirma. Já na Região sul, que abrange a região de Cacoal e vai até Vilhena, a porcentagem de energia furtada é de 14,84%.

No Centro do estado, que tem como sede Ji-Paraná (RO), mas inicia em Ariquemes (RO) e vai até Presidente Médici (RO), a perda é de 28,13%. "Acredito que essa diferença discrepante do sul com as demais regiões seja por questão da conscientização das próprias pessoas.

O total de todo o estado tivemos a perda de 29,12%”, diz Cleyton. Na capital, Cleyton conta que as regiões periféricas são as que mais fazem as ligações clandestinas e que, por muitas vezes por acontecer em áreas de invasão, a Eletrobras não tem apoio da prefeitura para realizar o procedimento adequado do desligamento. “Só na Zona Sul existem três bairros com rabichos. Ali são mais de 400 famílias. Já conseguimos regularizar grande parte, mas a maioria dessas invasões acontecem em áreas de reservas ou privadas. O próprio município não nos autoriza a entrar. Aí o pessoal que já invadiu a área começa a fazer os ‘rabichos’ e puxam da nossa rede”, fala. Fonte: Globo G1. Dia 12 de julho de 2018.

Jornalista Ronan Almeida de Araújo (DRT/RO 431/98)


Loading...
Loading...

Informações de contato

Planeta Folha

(69) 9842-96737

atendimento@planetafolha.com.br

2016 - 2018: Planeta Folha é uma publicação de Planeta Folha - ME. Todo o noticiário, incluindo vídeos, não podem ser publicados, retransmitidos por broadcast, reescritos ou redistribuídos sem autorização por escrita da direção, mesmo citando a fonte. Os conteúdos assinados são de responsabilidade de seus respectivos autores. As pessoas citadas nos conteúdos têm direito de resposta garantida. Dúvidas entre em contato! ou fale diretamente com nossa redação - (Fale conosco pelo WhatsApp)
Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo